CODE GIRL e Kommunikologia

23/11/2015

Atenção participantes e conferencistas do Voo CG 003, acesso pelo portão principal do IFRN. E ao passar pelo portão principal, já é possível obter a senha do Wi-Fi. Por favor, após passar pelo portão de entrada, dirijam-se ao balcão de check-in. Code Girl 3 agradece a sua presença e participação, desejando a todos um ótimo evento.

Um evento criado e desenvolvido por mulheres, com a intenção e objetivo de pesquisar e desenvolver o mercado da informática, com a maior presença feminina, desde a formação em institutos federais, com influencias em outras escolas. Elas estavam no palco, na mesa, no microfone, na coordenação e divulgação, e centenas na plateia. E detalhes muitas vezes esquecidos em outros eventos, ganhou destaque e conscientização durante a realização do CODE GIRL 3 no IFRN, em Natal/RN.

Ao passar pelo portão principal do IFRN (Naral/RN), já era possível obter a senha de acesso da rede de Wi-Fi, colocando o participante linkado com o mundo, e com a comissão organizadora do evento. A estratégia midiática, com as TICs oferecidas, poderia ser um meio de divulgar informes aos participantes, sobre o que estaria acontecendo no momento, e as próximas atividades, da programação a serem realizadas.

Depois do local de check-in, como um ponto receptivo, existia o portão de acesso para o auditório, onde seria realizado o evento. Um caminho com escada e rampa, promovendo uma acessibilidade. Na próxima porta encontrada pelo caminho, antes da entrada do Lounge (sala de estar, sala de espera ou ante-sala), um mapa do Campus do IFRN, destacando os pontos principais: como bares e restaurantes, áreas abertas e cobertas; biblioteca e outros pontos destacados. Não esquecendo do posto médico. E no Lounge, outros ícones de komunikologia. Indicativos de entradas e saídas, indicativos de sanitários e seus gêneros. Água e Café.

Extintores vermelhos colocados sobre o piso, com faixas de demarcação, ou em altura compatível, são itens que já fazem parte do dia a dia. Outras placas também são tão comuns, sem precisar maiores explicações como: proibido fumar e proibido entrar com lanches. E setas indicativas de saídas de emergência. Faixas amarelas delimitam um espaço para circulação. Tal como uma tracejada colocada no limite do palco, como alerta a quem circulasse por ali. Nas ruas, faixas amarelas e contínuas, ao longo do meio fio, indicam uma proibição de estacionamento.

Todos simbolizados com ícones universais. Ícones de compreensão para leigos, independente de seus idiomas, e estágios de formações educacionais. Uma linguagem universal com o uso de símbolos, ícones e pictogramas; siglas e letras. Signos em uma linguagem gráfica para entendimento em diversas idades e línguas. Todos os participantes deveriam, e poderiam se ambientar, com a planta baixa apresentada, principalmente aqueles que tinham ali o seu primeiro acesso ao Campus. Um exemplo exposto na porta principal, para ser utilizado em outros eventos, por organizadores e coordenadores, para participantes e conferencistas, reconhecerem os arredores do evento, com uma komunikologia expressa e impressa.

Antes do evento iniciar (CG3), algumas informações foram dadas, aos que já estavam em seus assentos, aguardando o início do evento. A começar com algumas regras de higiene e segurança, como o impedimento do consumo de alimentos e bebidas no recinto. Uma regra básica de permanência da higiene ambiental, evitando a proliferação de vetores, que poderiam surgir no ambiente escuro, causando um alvoroço.

Outra informação apresentada foi a indicação de portas de saídas, no caso de uma situação de emergência. A informação de procurar manter a calma, na situação, e procurar um membro da equipe, identificados por pulseiras reluzentes e coloridas, conseguindo assim novas informações para evitar um maior pânico e confusão. Medidas e regras preventivas. Uma explanação verbal e gestual, lembrando aeromoças e comissários de bordo em um avião, antes de iniciar o voo. E novamente a linguagem universal, executada por gestos.

Regras de localização e segurança, tiveram destaque especial em CODE GIRL 3. Meios impressos e gestuais fizeram a explanação divulgando informações.

Quando a prevalência dos transportes à longa distância eram os navios, prevalecia na ordem de abandonar a embarcação, mulheres e crianças primeiro, como uma estratégia de perpetuação da espécie. Hoje com o uso de aviões, a prioridade de embarque são os deficientes de locomoção e crianças acompanhadas por adultos. E depois de acomodados, a vez dos outros passageiros sem impedimentos, evitando alvoroços com aqueles que possuem alguma limitação. Regras que devem ser respeitadas nas ruas, em rampas e calçadas.

 

Textos correlatos

Nas trilhas da Komunikologia – Substantivo Plural

Por Roberto Cardoso

 

http://www.substantivoplural.com.br/nas-trilhas-da-komunikologia/

Code Girl nas trilhas da Komunikologia – Substantivo Plural

Por Roberto Cardoso

 

http://www.substantivoplural.com.br/code-girl-nas-trilhas-da-komunikologia/

Blogs

https://kommunikologie.wordpress.com/2015/01/19/komunikologia/

http://komunikologie.blogspot.com.br/2015/08/roberto-cardoso-maracaja.html

{O código secreto das meninas}

 

Texto disponível em:

http://www.publikador.com/games/maracaja/2015/11/o-codigo-secreto-das-meninas/

http://macandtec.blogspot.com.br/2015/11/o-codigo-secreto-das-meninas.html

http://macandtechnology.blogspot.com.br/2015/11/o-codigo-secreto-das-meninas.html

 

A menina do Café Linkest:

http://www.publikador.com/cultura/maracaja/2015/05/a-menina-do-cafe-linkest/

http://www.recantodasletras.com.br/cronicas/5435624

 

Uma voz e um violão no Café Linkest:

http://www.publikador.com/cultura/maracaja/2015/08/uma-voz-e-um-violao-no-cafe-linkest/

http://mirnasemarinas.blogspot.com.br/2015/08/uma-voz-e-um-violao-no-cafe-linkest.html

 

 

 
504
{{ (like/total)*100 | number:2 }}%
Avaliação:

{{ (like/total)*100 | number:2 }}%

({{ like | number:0 }})votos

{{ 1*100 | number:2 }}%

({{ like | number:0 }})votos
Free Space
Free Space
Danger
Roberto Cardoso
  191.007
  98.93%
Comentários